Domingo 17 de Dezembro de 2017
Breves
Inicio / Notícias Igreja / Papa quer cristãos corajosos

Papa quer cristãos corajosos

Bento XVI pediu este Domingo que os cristãos sejam corajosos, deixando apelos à fidelidade ao Evangelho. Durante a recitação do Angelus, na residência pontifícia de Castel Gandolfo, o Papa defendeu que “a fé não basta para se salvar” e falou na necessidade de “uma vida recta e o amor puro e generoso para com o próximo, os irmãos”.Neste sentido, desafiou a “testemunhar a nossa fé com uma vida de serviço humilde, prontos a pagar pessoalmente para permanecermos fiéis ao Evangelho da caridade e da verdade, certos de que nada se perde de tudo aquilo que fazemos”.Citando São João Crisóstomo, Doutor dos primeiros séculos da Igreja, Bento XVI frisou que “Jesus não veio ensinar-nos uma filosofia, mas mostra-nos um caminho, melhor ainda, o caminho que conduz à vida”.“Este caminho é o amor, que é expressão da verdadeira fé. Se alguém ama o próximo com coração puro e generoso quer dizer que conhece verdadeiramente Deus. Se, pelo contrário alguém diz que tem fé mas não ama os irmãos, não é um verdadeiro crente. Deus não mora nele, porque como afirma claramente São Tiago na segunda leitura da Missa deste Domingo, «a fé sem as obras está pura e simplesmente morta»”, prosseguiu.“Queridos amigos – disse ainda o Papa – amanhã (Segunda-feira, ndr) celebraremos a festa da Exaltação da Santa Cruz., e no dia seguinte Nossa Senhora das Dores. A Virgem Maria que acreditou na Palavra do Senhor, não perdeu a sua fé em Deus quando viu o seu Filho recusado, ultrajado e crucificado. Permaneceu ao pé de Jesus, sofrendo e orando até ao fim. E viu a aurora radiosa da sua Ressurreição”.Fonte:Ecclesia Bento XVI pediu este Domingo que os cristãos sejam corajosos, deixando apelos à fidelidade ao Evangelho. Durante a recitação do Angelus, na residência pontifícia de Castel Gandolfo, o Papa defendeu que “a fé não basta para se salvar” e falou na necessidade de “uma vida recta e o amor puro e generoso para com o próximo, os irmãos”.

Neste sentido, desafiou a “testemunhar a nossa fé com uma vida de serviço humilde, prontos a pagar pessoalmente para permanecermos fiéis ao Evangelho da caridade e da verdade, certos de que nada se perde de tudo aquilo que fazemos”.

Citando São João Crisóstomo, Doutor dos primeiros séculos da Igreja, Bento XVI frisou que “Jesus não veio ensinar-nos uma filosofia, mas mostra-nos um caminho, melhor ainda, o caminho que conduz à vida”.

“Este caminho é o amor, que é expressão da verdadeira fé. Se alguém ama o próximo com coração puro e generoso quer dizer que conhece verdadeiramente Deus. Se, pelo contrário alguém diz que tem fé mas não ama os irmãos, não é um verdadeiro crente. Deus não mora nele, porque como afirma claramente São Tiago na segunda leitura da Missa deste Domingo, «a fé sem as obras está pura e simplesmente morta»”, prosseguiu.

“Queridos amigos – disse ainda o Papa – amanhã (Segunda-feira, ndr) celebraremos a festa da Exaltação da Santa Cruz., e no dia seguinte Nossa Senhora das Dores. A Virgem Maria que acreditou na Palavra do Senhor, não perdeu a sua fé em Deus quando viu o seu Filho recusado, ultrajado e crucificado. Permaneceu ao pé de Jesus, sofrendo e orando até ao fim. E viu a aurora radiosa da sua Ressurreição”.

 

Fonte:Ecclesia

Verifique também

Incompatibilidade entre estilo de vida atual e a prática da caridade

O bispo do Algarve, D. Manuel Quintas, lamentou, este domingo, o estilo e a agitação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *