Domingo 25 de Junho de 2017
Breves

Orações

Para os vicentinos a oração como manifestação da sua vida espiritual pessoal e comunitária é inseparável da acção. A oração ilumina e inspira o compromisso cristão e social do vicentino na procura constante duma harmonia entre a consciência e a existência, entre a convicção e o testemunho.

Reproduzem-se aqui as orações tradicionais da Sociedade publicadas nas edições das últimas Regras, com a redacção literária do Missal Romano definitivo, recentemente publicado, sob orientação da Comissão Episcopal Nacional de Liturgia e utilizando obrigatoriamente nas celebrações litúrgicas. O Regulamento Nacional, no entanto, deixa uma certa liberdade na sua adopção caso a caso, pelo que, para além dos limites nele referidos, se deve entender que a oração, quer tradicional quer espontânea, é agradável a Deus na medida em que brotar do mais íntimo do coração.

l – Orações das Reuniões No começo das sessões

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Ámen.

  1. Vinde, Espírito Santo
  2. Enchei os corações dos Vosso fiéis, e acendei neles o fogo do Vosso amor.
  3. Enviai, Senhor, o Vosso Espírito e tudo será criado. R. E renovarei a face da terra.

OREMOS

Deus de bondade, que iluminastes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, tornai-nos dóceis às suas inspirações para apreciarmos rectamente todas as coisas e gozarmos sempre da sua consolação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

Pai Nosso, etc

Ave Maria, etc

  1. Sagrado Coração de Jesus: R. Tende piedade de nós.
  2. Ó Maria concebida sem pecado:
  3. Rogai por nós que recorremos a Vós.
  4. S. José:
  5. Rogai por nós.
  6. S. Vicente de Paulo: R. Rogai por nós.
  7. Beato Contardo Ferrini: R. Rogai por nós.
  8. Beato Frederico Ozanam: R. Rogai por nós.

 

No fim das sessões:

  1. a) Fórmula completa

Em nome do Pai, etc., etc.

  1. S. José:
  2. Rogai por nós
  3. S. Vicente de Paulo
  4. Rogai por nós.

 

OREMOS

Clementíssimo Jesus, que suscitastes na Vossa Igreja, em S. Vicente de Paulo, um apóstolo da Vossa ardentíssima Caridade: infundi o mesmo ardor de Caridade sobre Vossos servos, para que, por Vosso amor, dêem com a melhor vontade aos pobres o que possuem e de dêem a si mesmos. Vós que sois Deus com o Pai, na unidade do Espírito Santo. Ámen.

 

Pelos Benfeitores

Dignai-vos, piedosíssimo Jesus, conceder a Vossa graça aos benfeitores dos pobres, Vós que àqueles que em Vosso nome praticassem as Obras de Misericórdia prometestes cem por um e o Reino do Céu. Ámen.

 

A Nossa Senhora

À Vossa protecção nos acolhemos, Santa Mãe de Deus: não desprezeis as súplicas que em nossas necessidades Vos dirigimos, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita. Ámen.

 

Pela Sociedade de S. Vicente de Paulo

Graças Vos damos, Senhor, por tantas e tão valiosas bênçãos com que, até ao dia de hoje, tendes cumulado a Sociedade de S. Vicente de Paulo. Suplicamo-Vos, Senhor, continueis protegendo esta Sociedade que tão querida nos é, cada uma das suas Conferências, em particular esta de que fazemos parte (1): que ela se fortaleça, se propague e confirme no seu primitivo espírito de piedade, simplicidade e união fraternal, a fim de que as suas obras, inteiramente despojadas dos interesses vãos e mesquinhos do mundo, se tornem cada vez mais fecundas para o Céu.

Conheceis, ó Deus de bondade, as misérias espirituais e temporais das famílias pobres, que em tão pouco podemos aliviar, e sabeis, igualmente, de quanto nós próprios, aqui presentes, carecemos: tende misericórdia delas e de todos nós, e que sintamos sempre os efeitos da Vossa clemência sem limites.

Imploramos ainda, Pai amantíssimo – e muito especialmente – o Vosso auxílio para aqueles dos nossos irmãos vicentinos que, neste momento, estiverem oprimidos com provações: que a força, a luz, a paz e a confiança que de Vós procedem não faltem a nenhum deles, e que as suas e nossas penas, paciente e resignadamente suportadas, se Vos tornem agradáveis e produzam frutos de salvação.

Finalmente, Senhor, pelos merecimentos de Nosso Senhor Jesus Cristo e pela intercessão especial da Santíssima Virgem e de S. Vicente de Paulo, Vos rogamos que um dia, quebrados os vínculos da nossa mortalidade, deis um lugar no Vosso Reino aos pobres que nos confiastes, aos nossos amigos, parentes e irmãos vicentinos, e a nós mesmos.

 

Pela Canonização de Frederico Ozanam

Senhor Deus,  que pusestes no coração de  Frederico Ozanam e de seus companheiros o amor dos pobres, e lhe inspirastes a fundação de uma sociedade para alívio das misérias espirituais e corporais dos indigentes, dignai-Vos abençoar esta Obra de Caridade e de Apostolado, e pedimo-Vos Senhor pela canonização de Frederico Ozanam tornando patente por ela ao mundo os efeitos da Vossa caridade nos homens.

Por Nosso Senhor Jesus Cristo Vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

Clementíssimo Jesus, que suscitastes na Vossa Igreja, em S. Vicente de Paulo, um apóstolo da vossa ardentíssima Caridade: infundi o mesmo ardor de Caridade sobre Vossos servos, para que, por Vosso amor, dêem com a melhor vontade aos pobres o que possuem e se dêem a si mesmos. Vós que sois Deus com o Pai na unidade do Espírito Santo. Ámen.

 

Pelas vocações sacerdotais e religiosas (2)

Ave-Maria, etc.

E, pela misericórdia de Deus, descansem em paz as almas

dos fiéis.

  1. Ámen.

Em nome do Pai, etc.

  1. b) Fórmula reduzida

Em nome do Pai, etc. etc.

  1. S. José
  2. Rogai por nós
  3. S. Vicente de Paulo R. Rogai por nós.

OREMOS

 

Pelos Benfeitores

Dignai-Vos, piedosíssimo Jesus, conceder a Vossa graça aos benfeitores dos pobres, Vós que àqueles que em vosso nome praticassem as Obras de Misericórdia prometestes cem por um e o Reino do Céu. Ámen.

A Nossa Senhora

À Vossa protecção nos acolhemos, Santa Mãe de Deus; não desprezeis as súplicas que em nossas necessidades Vos dirigimos, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita. Ámen.

Pedimo-Vos Senhor

Pela nossa Sociedade espalhada pelo mundo inteiro, para

que a Vossa caridade se afirme cada vez mais;

pelos que nos ajudam e pelos que procuramos ajudar;

pelos que nesta hora sofrem de qualquer modo;

pela canonização de Frederico Ozanam, tornando patente

por ela ao mundo os efeitos da Vossa caridade nos homens;

pelas    vocações ao Vosso serviço especialmente no

sacerdócio  ministerial,  consagração  religiosa e acção missionária e vicentina.

Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen. Ave-Maria, etc.

II – OUTRAS ORAÇÕES

1 – Orações pela Unidade (3)

  1. a) Jo. 17,21-14

«Que todos sejam um.

Como Tu, Pai, estás em mim e Eu em Ti,

Que eles também sejam um connosco,

A fim de que o mundo creia que Tu me enviaste

Dei-lhes a glória que Tu me deste,

Para que sejam um como nós somos um:

Eu neles e Tu em mim,

Para chegarem à perfeita unidade,

E o mundo saiba que Tu me enviaste

E que Eu os amei como Tu me amaste».

  1. b) Oração Ecuménica pela Unidade

«Senhor Jesus, que na véspera de morreres por nós oraste para que todos os teus discípulos chegassem à perfeita unidade, como Tu no Teu Pai e o Teu Pai em Ti, faz-nos sentir dolorosamente a infidelidade da nossa desunião.

Dá-nos a lealdade de reconhecer e a coragem de rejeitar o que em nós se oculta de indiferença, desconfiança e mesmo

(3) Recomendadas pela reunião Plenária do Conselho Geral, de Outubro de 1967

hostilidades mútuas.

Concede-nos que nos encontremos todos em Ti, a fim de que, das nossas almas e dos nossos lábios, suba sem cessar a Tua prece pela Unidade dos cristãos, tal como Tu a queres e pelos meios que Tu queres.

Em Ti, que és a Caridade perfeita, faz-nos encontrar o Caminho que conduz à Unidade na obediência ao Teu Amor e à Tua Verdade. Ámen».

2 – Oração para implorar as luzes do Espírito Santo

Vinde Espírito Criador,
Visitai as almas que vos pertencem
E enchei com a graça divina
Os corações que criastes,
Vós sois chamado o Consolador,
A dádiva do Deus Altíssimo,
A fonte viva, o fogo, o amor,
E a unção espiritual.
Vós que sois o dedo de Deus,
Que fostes prometido pelo Pai
E sois a fonte de inspiração,
Dai-nos os Vossos sete dons.
Iluminai as nossas inteligências.
Infundi em nós o Vosso amor.
Que a fraqueza dos nossos corpos
Se apoie no Vosso eterno vigor.
Afastai de nós o inimigo
E guardai-nos sempre em paz;
Sob a Vossa segura direcção,
Saibamos evitar todo o mal.
Fazei-nos conhecer o Pai
E acreditar também no Filho:
E dai-nos uma grande fé em Vós,
Que sois o Espírito de ambos.
Glória ao Pai e ao Filho,
Que ressuscitou dos mortos,
E ao Espírito Consolador.
Por todos os séculos dos séculos.
Ámen.

  1. Enviai, Senhor, o Vosso Espírito e tudo será criado. R. E renovareis a face da terra.

OREMOS

Deus de bondade, que iluminastes os corações dos vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, tornai-nos dóceis às Suas inspirações para apreciarmos rectamente todas as coisas e gozarmos sempre da Sua consolação. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo. Ámen.

3 – Acto de Consagração das Conferências da Sociedade de S. Vicente de Paulo, em Portugal, ao Sagrado Coração de Jesus (4)

Clementíssimo Jesus, que por misericordioso desígnio Vos dignastes abrir o Vosso Dulcíssimo Coração aos homens para os salvardes e enriquecerdes com os inefáveis tesouros de amor que encerra; a Vosso pés vêm hoje os membros das Conferências de S. Vicente de Paulo consagrar-se inteiramente a esse Divino e amantíssimo Coração. Reconhecemos que este oceano infinito de Caridade é a origem e fonte de todas as graças e todos os benefícios que a nossa Sociedade tem operado no mundo.

(“) Este Acto de consagração foi redigido pelo Rev. Dr. Santos Abranches, a pedido do Conselho Superior de Portugal, e recitado pela primeira vez na Basílica do Sagrado Coração de Jesus, em Lisboa, no dia 13 de Junho de 1926, data em que se reuniu na mesma cidade a Assembleia Nacional das Conferências de S. Vicente de Paulo.

E, querendo agora que tudo volte ao seu princípio, nós vos consagramos, com pleníssima e irrevogável doação, as nossas pessoas com todas as faculdades e com todas as operações da sua actividade.

Não só reconhecemos, acatamos e adoramos o Vosso Supremo domínio e os inauferíveis direitos que tendes sobre os indivíduos e as nações, mas queremos viver para dilatar na terra o Vosso reinado de caridade, união e paz. Por isso Vos consagramos também as nossas famílias com todos os seus membros, os nossos trabalhos, obras, bens e empreendimentos. Reinai em nossos corações com a Vossa graça, em nossas famílias com a Vossa paz e amor, e no seio das sociedades com a Vossa autoridade soberana e com a observância plena dos Vossos mandamentos.

Nós Vos consagramos, de modo muito especial, os pobres que visitamos e constituem para nós outra família adoptiva que Vós nos doastes. Abençoai-os a eles, Senhor, dando-lhes resignação, fé, confiança e amor nos sofrimentos; e abençoai-nos a nós, concedendo-nos entranhas de fraterna caridade para com eles. Para cumprir a Vossa lei e imitar o vosso exemplo, nós só procuraremos amá-los como a nós mesmos, mas veremos sempre neles, com os olhos da fé, a Vossa Adorável Pessoa, pois num excesso de misericórdia, tomais como feito a Vós quanto por eles fizermos.

Dignai-Vos, dulcíssimo Jesus, aceitar benigno esta nossa oblação e resolução e recebei-nos dentro do Vosso amantíssimo e divino Coração, que será sempre a nossa perpétua morada, a fim de que, vivendo sempre em perfeita união convosco na terra, mereçamos à hora do passamento ouvir de Vossos lábios divinos:

“Vinde, benditos do meu Pai, possuí o reino que vos está

preparado desde o princípio do mundo.

Ámen.

Acção de graças a Maria

Em acção de graças pelo dom da fé recebido, animados por uma grande alegria, voltamo-nos rumo ao futuro que se apresenta no horizonte. Estamos cheios de esperança e decididos a partilhar com todo o homem a Boa Nova da Salvação em Jesus Cristo. Por essa razão, colocamo-nos em oração e convidamos toda a Família de Deus a rezar connosco e com Maria, a figura pessoal da Igreja, por um novo Pentecostes.

Maria, Mãe de Deus, Mãe da Igreja, graças a Ti, na manhã da Anunciação, toda a raça humana, com as suas culturas, alegrou-se por se saber capaz do Evangelho. Juntamente com todos os irmãos e em comunhão com o Santo Padre, estamos a Ti unidos, para que a efusão do Espírito Santo faça das nossas Conferências lugares de comunhão na diferença, e de nós, a Igreja-Família do Pai, Fraternidade do Filho, Imagem da Trindade, Antecipadora e Cooperadora Com todos, do Reino de Deus na Cidade que tem Deus como Construtor: Cidade de Justiça e de Paz.

Ámen.